Todos e mais alguns. Repara uma coisa: um serviço é algo que tu sabes fazer (ou ensinar a fazer). Apenas isso. O mais engraçado, é que há sempre alguém à procura de ajuda sobre todos os tópicos e mais algum. Por exemplo, se fores agora a um motor de busca (como, por exemplo, o Google) e pesquisares “como cozer arroz?”, vai aparecer-te algo. Na verdade, num curso de cozinha para iniciantes, vais encontrar várias respostas.

Não há nada demasiado simples que não mereça ser considerado. Já vi serviços de todas as origens e temas, como por exemplo:

  • curso “como organizar o frigorífico”
  • coaching para almas perdidas
  • paticura para cães (espécie de manicura)

Se estes negócios conseguiram ter sucesso, acredita que não há nada que possas rentabilizar que não faça sentido também. (posso até dizer-te que sou Cliente de um destes serviços: o curso de organização de frigorífico).

como descobrir o serviço certo para ti?

Certamente, há algo que tu fazes e que te distrai do tempo a passar. Provavelmente, essa acção é um bom ponto de partida para conseguires encontrar a tua paixão a rentabilizar. A minha experiência (quase 10 anos como Coach de Empreendedorismo Feminino), diz-me que as nossas crenças limitadoras nos levam a descredibilizar as nossas competências.

Por vezes, há serviços fantásticos à nossa espreita e nem nos apercebemos. Aliás, chega a ser tão difícil que parece quase impossível quando estamos sozinhas. Ainda bem então que tens este artigo à tua disposição. Se estás com dificuldade em arrancar, podes tentar uma outra perspectiva:

descobre a forma ideal para ti

Existem várias formas de prestares o teu serviço e quando descobres o meio mais indicado para ti, já há muitos aspectos que ficam definidos, neste produto final. Vamos ver cada um, para poderes fazer a tua escolha:

  1. ensinar a fazer
  2. acompanhar a execução
  3. fazer pelo Cliente

Estas são as 3 formas clássicas e dentro de cada uma delas, tens várias opções.

Ensinar a fazer

Ou seres formadora. Não precisas de ser mega profissional para poderes formar os teus Clientes. Na verdade, só precisas de ser um pouco mais experiente do que eles. Vamos ver um exemplo: quando nasceste, não sabias andar, certo? Mas também não começaste logo pelo andar. Começaste pelo sentar, bater palminhas… todas essas conquistas te levaram à coordenação necessária para saberes andar.

Da mesma forma, só precisas de saber o suficiente para ajudares o teu Cliente a chegar ao patamar seguinte. Neste caso, precisas de saber bem:

  1. o que sabes ao certo
  2. o que o teu Cliente sabe
  3. a diferença entre ambos
  4. como ensinar essa diferença para que o teu Cliente chegue ao mesmo patamar que tu

Eu não sei tudo sobre negócio ou marketing digital. Na verdade, há muita coisa que eu não sei. Mas uma coisa é certa: ao todo, já ajudei mais de 1000 mulheres a criarem o seu negócio, através de programas de grupo, como a Focus Negócio. Claro que continuo a aprender novas ferramentas e novas estratégias mas claramente sei mais do que as minhas Clientes e é por isso que consigo ser-lhe útil.

Aliás, toda a questão reside aqui: em que podes ser útil ao teu Cliente? O que podes ensinar-lhe de novo, que vá ajudá-lo a ter uma vida mais fácil ou mais feliz?

Dentro deste modelo, incluem-se meios como:

  • workshops,
  • aulas
  • masterclasses
  • cursos
  • livros
  • áudios…

O teu Cliente recebe a informação, coloca em prática e pronto. Está feito.

Ajudar o teu Cliente a fazer

Esta é a versão intermédia entre o “faz tu” e o “faço eu”. É uma solução de compromisso e, diz-me a experiência, a que tem melhores resultados. Quando fazes pelo teu Cliente, ele acaba por ficar sempre dependente de ti, porque não adquiriu a competência. Quando quiser renovar o benefício, vai voltar a precisar de ti. Isto pode parecer bom mas acaba por limitar o nosso progresso. Se vamos sempre estar a prestar o serviço, como vamos desenvolver-nos?

A versão de formação em regime de autonomia total, acaba por ser algo irresponsável na grande maioria dos casos. É impossível que o teu Cliente consiga colocar em prática tudo o que ensinaste. Há sempre dúvidas que surgem e algum apoio é essencial.

Por isso mesmo, é que esta versão intermédia é a minha favorita! Por um lado, sabemos que estamos a fazer uma verdadeira diferença na vida do Cliente. Por outro lado, sabemos também que ele está a ganhar autonomia e que vai querer competências mais avançadas. Progredimos juntos, na prática.

Aqui inserem-se vários modelos como:

  1. programas
  2. desafios
  3. processos

Estas acções acompanhadas podem ser em grupo ou individualmente e podem ser entregues de mil maneiras diferentes. Depende do teu perfil, na verdade. Aliás, tendo em conta que o negócio deve adequar-se ao teu estilo de vida ideal, tudo vai depender do que queres para a tua vida. Afinal, o teu negócio serve a tua vida e nunca o contrário.

Quando fazes pelo Cliente

O ganho é superior por unidade vendida, é muito superior. Os benefícios para o Cliente são:

  1. segurança de um resultado de qualidade
  2. velocidade na concretização desse benefício
  3. descanso de trabalho e preocupações

Claro que estes benefícios são valiosos e por isso estes produtos acabam por ser mais caros. Pode dar a ideia de que geram mais lucro mas não é tão simples assim. Há aqui muitos factores a considerar na escolha da forma de prestação do teu serviço. O verdadeiro truque para ganhares dinheiro a sério é mesmo trabalhares da forma que te dá mais prazer. Se respeitares a tua personalidade e garantires que ajudas o teu Cliente, tudo vai fluir de forma muito simples.

Lembra-te que, se precisares de ajuda, o programa CONCEPT nasceu exactamente para te ajudar a Criares O Negócio Certo Para Ti.

Concluindo: desde que se trate de rentabilizar um conhecimento ou competência, não há limites para a criatividade. Tanto relativamente ao que vendes como à forma que o fazes, o importante é que trabalhes dedicadamente, para ajudares o teu Cliente a mudar algo na sua vida.